12112013(006)

O vida do segundo filho, comigo foi e é assim!

Ah o segundo filho! Ninguém me falou como seria até porque eu já tinha o Hideo, então ter opiniões pra que? Mas posso falar que o segundo filho no geral é tudo mais fácil, não porque você já é mãe e sim porque o olhar do segundo filho para com a mãe não é da mesma forma.

Sabe aquela coisa do primeiro filho te olhar com admiração? Aquele rostinho meio te olhando, e ele pensando quem é essa mulher? Ela é minha mãe? Se eu chorar ela que vai me acudir, brincar comigo e tal. Foi assim que eu sentia que o Hideo me via. Com o Haruo não. Para quase tudo ele busca o irmão, seja pra simplesmente olhar o que ele estava fazendo, para depois fazer igual. Lógico! “Se ele consegue eu também consigo.”

25112013

A diferença de idade entre eles são de 2 anos e meio. O Haruo sempre foi o observador da casa, quando você achava que ele estava quietinho, lá estava ele olhando o que tinha ao redor ou tentando adivinhar o que fazia o brinquedo. Sempre muito concentrado.

Hideo é o agito da casa, o foguete vamos dizer assim. Sempre perguntando o que vamos fazer hoje. Tagarela demais. Ele é o melhor amigo do irmão ou o melhor inimigo em certos momentos? Não importa, no fundo os dois não se largam. Onde o Hideo vai, o Haruo vai atrás. No olhar do segundo filho o irmão é o rei é tudo, não a mãe!

Quando o Haruo nasceu nunca larguei o Hideo com outra pessoa que não seja o pai (nem quando fui para a maternidade. Já contei em outro post que ele dormiu na mesma cama comigo após a cesária! E que levamos para a maternidade todos os brinquedos dele pra lá! rsrsrs) sempre fiz tudo sozinha. Escolha minha, ok? Gosto de ter o controle das coisas e também ver o desenvolvimento dos dois. Mas a vida do segundo é bem mais agitada, não?

Nossa só de resgatar e ficar pensando o que já aconteceu até agora na vida do Haruo… a vida dele é um furação. Hideo ficou 15 dias sem ir para a escola e ficamos todos em casa, fiquei pensando que essa seria a melhor coisa pra ele entender que tem mais um serzinho em casa. Que ele não é mais filho único. Não foi uma má ideia. Ele ficou mais tempo com o pai, lógico, porque dar de mamar de 2 em 2 horas não é fácil. Já tinha colocado na cabeça que tinha que me focar mais no primeiro filho, então eu sempre amamentava, colocava o Haruo pra dormir (ele dormia umas 2 horas facilmente) e saia para brincar com o Hideo e fazer as coisas com ele. Fiquei um bagaço, mas não queria mudar a rotina que sempre tive com ele. Fora que amamentar o Haruo foi mil vezes mais fácil, porque ele nasceu mais gordinho. Dormia super bem. Nunca teve cólicas. Então foi tudo certo!10603504_10152396410522515_849813394582434444_n

Quando o Hideo retornou para a escola eu levava o Haruo comigo no carro, mas ele não saia do carro (lógico, era um bebezinho!) e nem eu. Amamentava antes de sair de casa, porque já sabia que o Haruo iria dormir no carro e, deixava o Hideo na porta da escola. Para pega-lo a mesma coisa, amamentava antes e ligava para a escola para deixa-lo pronto para a saída, porque logo mais eu iria lá para busca-lo. Em todas as vezes o Haruo capotava no carro e depois era só colocar no berço. Dava pra fazer muita coisa com o Hideo nesse meio tempo.

Resumindo, nos 5 primeiros meses foi uma beleza! Sabíamos que tinha um bebê em casa e dava o mínimo trabalho. O Haruo não chorava tanto e o Hideo não ficou com aquela sensação de que tem um intruso em casa e muito menos do famoso pensamento “meu irmão quer pegar a minha mãe”. Deixei cada um em seu lugar. Enquanto o Haruo dormia, dou comida, dou banho, brinco e etc. com o Hideo, simples assim.

E o Haruo relaxa e dorme no seu berço que é isso que ele precisa pra crescer e se descobrir como individuo. Quando eu sai da maternidade levei-o direto para o berço. Ele sempre dormiu no quarto sozinho igualzinho o Hideo. Nunca coloquei eles de bebê na minha cama, eu que sempre me mudava para o quarto deles, por mais cansativo que seja.  Dormia no sofá cama e do lado: o celular com despertador para me avisar quando acordar, caneta e papel para anotar os horários das mamadas, e rezando para que mamadas se estendessem na madrugada. Mas demorou um pouco. Mas deu certo!

12092013

Lembro um dia que peguei o Hideo na escola e fomos para a piscina do prédio. Estava calor demais. Já estava tudo programado. Carrinho no porta-mala e mala com as roupas de piscina. E o Haruo dormindo. Peguei o Hideo e fomos, ficamos 1 hora lá embaixo até o despertador do choro nos dizer que era hora de subir, porque o irmão acordou. Subimos mas a farra continuou lá no apartamento.

Essa dupla jornada como mãe é possível. É puxado, é puxado. Tanto é que sai do trabalho por causa disso. Não dava pra trabalhar em Guarulhos e sair desvairada toda vez que a escola me ligava para dizer que tinha que pegar o Hideo porque ele estava com febre. Sim, porque me deslocava em menos de 30 minutos até lá. Imagina com dois????? Pensei não, nem pensar.

Se você quer e deseja ter o segundo filho, não ache que o segundo vai ficar triste porque você não olha pra ele. Pelo contrário, o primeiro filho precisa de muito mais apoio do que o filho caçula. É dele, o filho maior, que somos mães de primeira viagem, não sabemos o que vem por ai, não é mesmo? E posso dizer, o segundo filho se vira super bem sozinho e são bem mais independentes, além do que tem o irmão para se espelhar.