bridge 06

Escolas pelo mundo! Green School em Bali!

Hideo foi para a escola com 5 meses. O intuito não era a estimulação e aquelas coisas que falam. “Que bom que vai para a escola, vai saber se socializar cedo.” A ideia nem era essa. O que importava naquele momento era alguém que pudesse cuidá-lo e preferimos colocado em uma escolinha, já que eu teria que voltar para o trabalho.

10861106_10152640578692515_6738794109120929467_oA escolha da escola naquela época para mim foi a mais difícil, mas olhando hoje. Não foi não! A escolha de uma escola para a alfabetização é bem mais difícil. Existem diversos métodos construtivistas, humanistas, tradicional e por ai vai.

Tirei o Hideo um ano antes (a escola vai até o Infantil 5), já que o irmão deveria ir. Já estava na hora. (o Haruo estava com 2 anos e 5 meses, esse teve mais mamata que o irmão.). Sabemos da história que cada filho é um. As vezes uma escola funciona para um filho e para o outro não. Enfim, se não der certo trocamos.

Focamos como era o dia a dia em casa, o que queríamos para eles em termos de educação e pessoa. Pesquisei lista dos Top 10 de colégios do Enem, método de ensino e etc etc etc. Demoramos uns 3 ou 4 meses para decidir. E decidimos em um colégio grande da região da Paulista.

Isso foi apenas um desabafo! Mas o que venho falar com isso tudo não são as inúmeras escolas que temos que escolher para eles. Tarefa árdua! Mas você acaba achando. O que venho falar, são os inúmeros métodos de ensino que existem atualmente no mundo! Antigamente era aquela coisa, estudar as matérias e pá bum. A ideia era ensinar as matérias, não tinha a preocupação de formar um indivíduo.

Pois bem, tenho uma curiosidade enorme em saber como funciona as escolas no mundo (porque o mundo não é só Brasil!). Baixei um livro pela Internet que fala sobre Volta ao mundo em 13 escolas. E olho a diversidade que é ensinar! Apertem os cintos porque a aventura vai começar!

Vou começar a falar pelo que eu sempre soube que era um modelo para mim, a Green School que fica em Bali na Indonésia. Vi pela primeira vez no Canal Off no programa Nalu pelo mundo. Aquela garotinha, filha do surfista Pato indo para essa escola sustentável (quem me dera que tivesse algo semelhante no Brasil).classroom - early years

Em linhas gerais a Green School, foi fundado por John Hardy (Canadense) e Cinthia (Americana) que após ver o filme de Al Gore ‘Inconvenient Truth’ decidiu criar uma escola sustentável, porque queria deixar algo melhor para os filhos. Tinham condições financeiras para isso, a questão era ver se era viável. A construção teve momentos de alegria, tristeza e inundações. Mas sempre acontecia algo inesperado ou algum acontecimento que parecia que iria acabar com tudo, mas sempre continuava até o seu fim.

Vieram pessoas de todas as partes do mundo para ajuda-los. Africanos, havaianos, americanos e por ai vai. Todos sabiam da importância desse projeto, para as crianças que iriam estudar lá e para o mundo.

appreciating culture (1)

“E aqui esta, Green School. Eu sabia que aquele lugar não parecia uma escola. Mas era bonito, sustentável e podíamos ensinar as crianças que o mundo não é indestrutível e que eles podem fazer a diferença.” disse John.

A ideia de John para a construção do colégio era criar espaços sem paredes e que pudesse passar de alguma forma luz  e de preferência usar apenas materiais orgânicos. Tudo isso foi feito no meio de uma floresta.

classroom 01

Vista do alto

Aí se meus filhos pudessem ao menos conhecer este lugar. É uma experiência única que ninguém pode tirar de você. Ela abre sua visão do mundo, a criança vê que existem outros ideais, outros problemas e que o seu “problema” é muito pequeno. Sei disso, porque meus pais são estrangeiros e sempre nas férias íamos para o Peru ver meus familiares. Eu, pequena nunca queria ir, queria ficar no Brasil e curtir as férias com os meus amigos. Ainda bem, que minha mãe nunca me escutou, porque essa experiência de ir todo o ano para outro país e escutar, aprender coisas de outro país não tem preço.

Imagina seu filho em uma escola com 385 estudantes que vem de 38 países do mundo – 80% são estudantes estrangeiros (Japão, Hungria, Canada, Singapura, etc) e 20% são indonésios.

São 64 professores que vem do mundo todo. Não é apenas uma escola para aprender o que é sustentável, mas sim como lidar com diferentes culturas, idiomas, comportamentos, costumes e etc.

green green2

E nessa imensidão “verde” a tecnologia esta presente neste local. A Green School tem espaços para o uso do computador, todas classes são equipadas com tecnologia (tela e projetor conectado a Internet). Os estudantes do Ensino Fundamental e Médio são incentivados a trazerem seus laptops para acessar a plataforma de learning (aprendizado).

Todo o consumo de energia vem dessas placas solares.
Todo o consumo de energia vem dessas placas solares.

A escola segue 7 áreas de aprendizado: 1. Desenvolvimento físico (coordenação motora) 2. Emocional 3. Desenvolvimento da linguagem 4. Cognitivo 5. Criatividade 6. Cuidado com o mundo 7. Cultura Balinesa

Confira abaixo o vídeo do Ensino Fundamental.

Tem muita coisa para falar deste lugar. Muita mesmo! Teremos um segundo post de uma brasileira que esta como voluntária e que contará essa experiência. Aguardem!